Picture
Os transportes foram dos sectores com maior adesão à Greve Geral Nacional no distrito de Faro, onde o aeroporto, com paralisação completa, os comboios, apenas com serviços mínimos, e vários tribunais, escolas e serviços de recolha de lixo funcionaram também com serviços mínimos.
Cerca de 300 pessoas concentraram-se esta tarde no Jardim Manuel Bívar, na baixa da cidade de Faro, numa iniciativa convocada pela União dos Sindicatos do Algarve (USAL), na qual estiveram membros de vários sindicatos.
Durante esta concentração um dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação confirmou que o aeroporto de Faro «paralisou», não tendo havido qualquer tráfego de aviões comerciais ao longo do dia. Também o Delegado Sindical dos Maquinistas confirmou que no pessoal circulante, de manutenção e de estação, a adesão foi total, só funcionando os serviços mínimos. Apenas um reduzido número de Inspectores e quadros dirigentes da CP e REFER furaram a greve.
Outro sector onde se verificaram paralisações foi o das pescas, com metade da frota de Olhão a ficar em terra, enquanto em Tavira a adesão à greve foi total, de acordo com fontes sindicais.

No sector da educação, das 83 escolas, pelo menos 53 não abriram portas e outras apenas funcionaram de manhã.
Ana Simões, do Sindicato dos Professores da Zona Sul, sublinhou que os docentes «não se resignam» e vão continuar a lutar pelos seus direitos.
A adesão à greve no sector judiciário superou os 80% com os tribunais judiciais de Albufeira, Loulé, Faro e Vila Real de Santo António a chegar aos 90% de adesão e os de Olhão, Silves e Lagos aos 100%, referiu Vítor Norte, dirigente do Sindicato dos Funcionários Judiciais.

Maria João Madeira, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços (CESP), adiantou ainda que as misericórdias de Vila Real de Santo António, Castro Marim, Tavira, Portimão e Vila do Bispo aderiram a 100% à Greve Geral Nacional.
Amanhã, pela manhã, ainda se farão sentir perturbações na circulação de comboios no Algarve e Alentejo e nas ligações a Lisboa.

 


Comments


Your comment will be posted after it is approved.


Leave a Reply