Picture
Do correspondente da nossa Linha Sindical no Barreiro chegam-nos os seguintes dados.

Só o comboio socorro (5), CP-Sado só 5 comboios para cada lado-serviços  minimos, funcionaram.

O centro de saúde esteve encerrado, só funcionando o serviço de urgência.

Pelas 15 horas realizou-se uma concentração no Barreiro com cerca de 200 trabalhadores presentes.

 
 
 
 
 
 
 
 
Picture
Os transportes foram dos sectores com maior adesão à Greve Geral Nacional no distrito de Faro, onde o aeroporto, com paralisação completa, os comboios, apenas com serviços mínimos, e vários tribunais, escolas e serviços de recolha de lixo funcionaram também com serviços mínimos.
Cerca de 300 pessoas concentraram-se esta tarde no Jardim Manuel Bívar, na baixa da cidade de Faro, numa iniciativa convocada pela União dos Sindicatos do Algarve (USAL), na qual estiveram membros de vários sindicatos.
Durante esta concentração um dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação confirmou que o aeroporto de Faro «paralisou», não tendo havido qualquer tráfego de aviões comerciais ao longo do dia. Também o Delegado Sindical dos Maquinistas confirmou que no pessoal circulante, de manutenção e de estação, a adesão foi total, só funcionando os serviços mínimos. Apenas um reduzido número de Inspectores e quadros dirigentes da CP e REFER furaram a greve.
Outro sector onde se verificaram paralisações foi o das pescas, com metade da frota de Olhão a ficar em terra, enquanto em Tavira a adesão à greve foi total, de acordo com fontes sindicais.

No sector da educação, das 83 escolas, pelo menos 53 não abriram portas e outras apenas funcionaram de manhã.
Ana Simões, do Sindicato dos Professores da Zona Sul, sublinhou que os docentes «não se resignam» e vão continuar a lutar pelos seus direitos.
A adesão à greve no sector judiciário superou os 80% com os tribunais judiciais de Albufeira, Loulé, Faro e Vila Real de Santo António a chegar aos 90% de adesão e os de Olhão, Silves e Lagos aos 100%, referiu Vítor Norte, dirigente do Sindicato dos Funcionários Judiciais.

Maria João Madeira, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços (CESP), adiantou ainda que as misericórdias de Vila Real de Santo António, Castro Marim, Tavira, Portimão e Vila do Bispo aderiram a 100% à Greve Geral Nacional.
Amanhã, pela manhã, ainda se farão sentir perturbações na circulação de comboios no Algarve e Alentejo e nas ligações a Lisboa.

 
 
Picture
Adesões:
Metropolitano de Lisboa – 100%
Carris – 83%
Trabalhadores de recolha do Lixo em Lisboa – 92%
Trabalhadores dos CTT (Cabo Ruivo Lisboa) – 85%
 
Mais informações e imagens clique aqui

 
 
 
 
Picture
A Greve no sector ferroviário começou já hoje, 23/11, com a supressão de vários comboios a partir do meio da tarde, começando pelos Internacionais como o Sud-Expresso que deveria ter saído às 16.30 de Stª Apolónia ou o do Porto com destino a Vigo das 17.55, depois os de longo curso, regionais e transvias. Na linha de Sintra o último comboio sará às 22.01 do Rossio e às 22.56 de Sintra. Entre Roma-Areeiro e Meleças estão previstas saídas às 23.25 e 22.51, respectivamente. De Castanheira do Ribatejo às 22.57 e de Alcântara-Terra às 22.06. De Cais do Sodré o último partiu às 22.00 e de Cascais às 23.00. Na margem Sul o último a sair do Barreiro foi às 21.25 e de Praias de Sado às 22.40. No Algarve e outros serviços regionais, a paralisação não se fez sentir com tanta intensidade porque os trabalhadores terminam no próprio dia o seu turno de trabalho, fazendo Greve apenas no dia 24, tendo-se realizado os últimos comboios.
Para dia 24 a adesão é total para o pessoal circulante, prevendo-se apenas que circulem os comboios constantes dos serviços mínimos. Mais uma vez este sector dá uma demonstração de querer lutar e da sua coesão contra as prepotências fascistas do governo PSD/CDS-PP.

Em frente por uma Greve Geral Nacional vitoriosa!
Não pagamos!
O povo vencerá!